PHCBR Entrevista: Menores Atos


Seguindo a nossa série de entrevistas exclusivas, dessa vez batemos um papo com a galera do Menores Atos. A banda formada no Rio de Janeiro lançou o seu disco mais recente, animalia, no ano passado contando com a produção e mixagem do Gabriel Zander. Na entrevista eles nos contam como está sendo a experiência da banda após o lançamento desse registro, além de algumas curiosidades e influências.


PHCBR: Por favor, apresente o Menores Atos e nos conte como a banda começou.

 Olá, o menores atos é um trio. Nós somos: Cyro (guitarra/vocal), Ricardo Mello (bateria/voz) e Celso Lehnemann (baixo). Tudo começou em 2002, com o Felipe Fabris, ex baixista da banda. Em 2005, a banda lançou o primeiro album, mas depois de algum tempo interrompeu as atividades. Eu entrei na banda há uns 4 anos e o Celso, esse ano. Então, por conta da mudança de sonoridade e trocas de integrantes é como se com o lançamento do animalia, em 2014 marcasse um recomeço.

PHCBR: Como surgiu e como foi o processo de composição do animalia. Tem alguma faixa que seja a favorita?

A primeira musica que fizemos pro animalia foi Passional, assim que entrei na banda (Cyro). O processo de composição foi bem natural, tínhamos muitas ideias já e os caras estavam cheios de saudade da banda, depois de tanto tempo parados. Não diria que essa é a favorita, mas é o retrato do que a banda se tornou depois do hiato. 

PHCBR: Surpreendeu a boa repercussão do disco junto a mídia especializada e ao público? O quanto isso é importante para uma banda independente?

A gente sempre acreditou muito no que estava criando. É muito difícil imaginar como as pessoas vão enxergar algo que é tão pessoal. Por isso, é sempre uma surpresa, eu acho. E é muito bom ouvir mais elogios do que críticas, mas o principal foi a gente ter ficado satisfeito. E deu tudo certo, pra nossa felicidade.


PHCBR: Vocês já dividiram palco com grandes nomes como Zander, Plastic Fire, Bullet Bane e Pense. Tem algum show que foi marcante?

Sempre é maneiríssimo estar com esse pessoal. A gente já parte pro corre sabendo que, no mínimo, vai ser divertido. Já fizemos alguns bons shows que não saem da cabeça. Um bem marcante foi com a Larissa Conforto na batera, em um show na Planet Music em que o Bola não pôde tocar por conta de uma lesão. haha. Não pela ausência do Bola, claro, mas pelas circunstâncias. Mas a energia, no geral, tem sempre sido nível altíssimo.

PHCBR: Planos para novas turnês e até mesmo um sucessor do animalia?

Olha, a gente tá tentando tocar o máximo possível e tem rolado. O plano é continuar na pegada. A gente já tá fazendo coisa nova, mas não sei quando vai rolar de gravar o próximo. 

PHCBR: Quais são as influências da banda?

A gente ouve muita coisa, mas se for pra citar alguns nomes: Minus the Bear, Circa Survive, Nirvana, Small Brown Bike…

PHCBR: Há alguma banda gringa em especial que vocês gostariam de tocar juntos?

Sei lá, um monte. Tenho ouvido muito o último do Title Fight. Acho que seria irado. 

PHCBR: Deixem um último recado para galera que acompanha ou está conhecendo agora o trabalho de vocês.

Obrigado por estarem com a gente e por todas as experiências boas que temos vivido nos shows. Espero que a gente se veja cadas vez mais por aí! Se ainda não ouviu, music.menoresatos.com.br. Acabamos de lançar um vídeo muito bacana e gostaria que vocês assistissem também. Abrá!




Clique na imagem para ouvir o disco animalia na íntegra via Bandcamp:


Share on Google Plus

About Posthardcore Br

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.