Resenha: Evil Conduct e Blind Pigs em São Paulo!


Sábado, 14 de Novembro, mais um dia de sol, calor e com ótimas opções de gigs em São Paulo. Em Pinheiros tinha Millencolin, na Pompeia teve Pin Ups, e ali próximo na Barra Funda, a gig era comandada pelo Blind Pigs junto aos holandeses do Evil Conduct. E é sobre essa última gig que irei falar. Peço desculpas ao Faca Preta, banda de abertura, pois não cheguei a tempo de vê-los tocar.

     (Blind Pigs - Foto do show do Rio de Janeiro pelo Diego Giani)
 Iniciando com “Abutres”, faixa que abre o EP Linha de Frente lançado recentemente pelo Blind Pigs, a banda deu a letra de como seria o show enquanto eles estivessem no palco, um show de punk rock bastante enérgico regado a cerveja, com a participação em massa do público e com uma dose de emoção.

O Blind Pigs deu sequência a noite histórica com “Sentinelas dos Mares”, tocou clássicos como “União”, “Heróis ou Rebeldes”, “Geração Domesticada”, “Legião de Inconformados”, “7 de Setembro”, “Antro de Trastes”, “Aos Bandeirantes” e “Para Incomodar” (essa duas pessoalmente são algumas das minhas favoritas), além de várias outras músicas cantadas a todo minuto pelo público junto da banda. Ainda do Linha de Frente, os caras tocaram “Carta ao Leitor”, e o Henrike visivelmente emocionado dedicou a música “Sempre Avançar” para o amigo e eterno integrante do Blind Pigs, Fabiano Andrade, ele que faleceu no primeiro semestre desse ano devido a um ataque cardíaco.

Ainda durante a apresentação, rolou um desabafo do Henrike devido a comentários postados na internet sobre possíveis brigas que poderiam rolar durante o evento, algo que não aconteceu em nenhuma cidade em que a tour passou. Foi um grande e histórico show do Blind Pigs, mas a noite ainda não tinha acabado.

      (Evil Conduct - Show em São Paulo)
 O trio mais esperado da noite, os holandeses do Evil Conduct, receberam uma plateia já empolgada do show anterior, do Blind Pigs, portanto foi fácil pra banda manter o clima de uma noite épica.  Após uma intro de reggae, o público vestido a caráter ou não, feminino e masculino, dançou bastante e ecoou o grito “Oi! Oi! Oi!” ao som de clássicos como “The Voice of Oi”, "Skinhead Till I Die”, “Working Class Heroes”, “My Skinhead Girl”,  Remember 81”, “Nowhere to Go”,  entre outros sons conhecidos do público. Do álbum mais recente lançado pelo trio, Today's Rebellion, ainda rolou “ That Old Tattoo”, "Oioi the Shop”, “Gone By Tomorrow” e “Something About You”.

 A banda veterana do Oi!/Street Punk deu um verdadeiro show, com destaque para a mulherada que subiu no palco e lá ficou durante algumas performances do trio. Inclusive, a mulherada compareceu em peso e elas tiveram grande parcela para que a noite fosse memorável.

      (Evil Conduct - Show em São Paulo)
Enfim, para quem achou que ia ter brigas, facadas, mortes, ou qualquer coisa do tipo, saiba que não teve nada. Me surpreendi com o comportamento do público que esteve o tempo todo empolgado, subiram no palco, deram stage dive, dançaram bastante e tomaram muita cerveja, ou seja, souberam curtir. Teve gente de cidades próximas de São Paulo, do Nordeste e outras regiões fora do Estado, do Chile e também da Argentina, todos ali para assistir aos shows sem o intuito de arranjar confusão. Celebraram a noite como tem que ser!

Parabéns a todos da Heartsbleedblue que participaram da organização.





Share on Google Plus

About Posthardcore Br

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.