Resenha: Circa Survive - Descensus


Descensus – Resenha Faixa a Faixa.

Dentre todas as minhas bandas favoritas, Circa Survive é a minha banda mais favorita. Por essa razão, ao invés de resenhar Descensus no calor da emoção, esperei a poeira baixar um pouco. Fiz isso para tentar um balanço mais justo entre o  fã e o resenhista. Dilemas metafísicos à parte, o quinto álbum de estúdio do quinteto da Philadelphia mostra uma banda madura, entrosada e consciente de suas características mais fortes. Descensus mostra boa parte do melhor do Circa Survive com pitadas de novos temperos, o que é sempre bom ao apresentar uma nova “receita”.

A faixa de abertura e primeiro single do disco é Schema. Muito peso, bateria cadenciada, e a voz rasgada de Anthony Green canta “I never want to see clear at all. There's nothing that could be there now”. De cara, dá pra notar a distorção e o timbre das guitarras com uma pegada industrial à la Nine Inch Nails que ecoa por todo o disco. Vale a pena conferir o belíssimo videoclipe para a música.

Em seguida temos Child Of The Desert, a melhor faixa do álbum em meu modesto julgamento. Um groove lindo, um baixo pesadíssimo, e uma linha vocal folk.  O belíssimo refrão “All is lost, all will be returned in the end” denota mais uma vez a dialética sagrado-profano,  marca lírica do Circa Survive.

A terceira faixa é Always Begin. Belos arranjos que lembram o segundo álbum da banda, On Letting Go e mais um refrão primoroso.

Who Will Lie With Me Now é um pequeno interlúdio que precede Only The Sun, segundo single do Descensus. É como se a banda tivesse olhado novamente ao On Letting Go e mudado exatamente o que eles gostariam de mudar. Circa Survive em sua essência!

Nesting Dolls dá início ao segundo ato do disco com uma quebra de ritmo. O peso das cordas e bateria dá lugar aos arranjos experimentais e à melodia que lembra uma canção de ninar.

Quiet Down começa na mesma pegada e conta com diversas mudanças de clima, lembrando bastante as faixas de Blue Sky Noise, terceiro disco da banda. Não faltam guitarras industriais noventistas, principal “tempero” adicionado ao álbum.

Talvez Phantom seja a faixa que fuja um pouco do conceito do Descensus. As guitarras industriais dão lugar à influência new-age. Pegada anos oitenta e volta às referências de Bjork presentes no Juturna, debut da banda.

Sovereign Circle, parece ter escapado do Violent Waves, quarto álbum da banda. Se estivesse lá, não destoaria nada.

O disco encerra com a faixa que dá título ao álbum. Descensus resume bem o espírito do disco. Melodias vocais trabalhadíssimas, cordas com distorção e timbre grave acentuados, bateria marcada e um toque noventista que me lembrou Album Of The Year do Faith No More. No entanto, fica claro que a maior influência do Circa Survive foi o próprio Circa Survive. O flerte com diversas fases da banda faria do Descensus um belo álbum de despedida. Fortuitamente, a banda segue firme e forte e esperamos que outros trabalhos desse quilate venham no futuro!

Nota 9/10

Cold





Share on Google Plus

About Posthardcore Br

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.