Um papo sobre Hardcore, Suécia e Cerveja com o NO FUN AT ALL!!


Os suecos do No Fun At All passam pelo Brasil em novembro e conseguimos conversar com Mike Danielsson, guitarrista da banda. 

PHCBR –  Olá. Primeiramente, obrigado pela entrevista. Fui ao primeiro show de vocês aqui... no final dos anos 90 se não me engano. Muitos de seus fãs estão na casa dos 30, com filhos e contas a pagar. Como você vê essa mistura de gerações nos shows? 

Mike - Olá, Mikael guitarrista da NFAA aqui. Tudo bem por aí? Sim, o tempo voa e parece que ainda estamos lá, 15 anos atrás, quando tocamos no Brasil pela primeira vez. Acho legal essa mistura. Muitas pessoas que foram aos primeiros shows ainda têm as camisetas do NFAA que eles compraram (espero que estejam inteiras). Então, espero que as usem no show. Isso é bacana! É bom que as pessoas cresçam e ainda tenham interesse em boa música e vão aos shows. É fantástico ver essa molecada nova descobrindo nosso som e gostando dele.

Vocês se tornaram conhecidos no Brasil por uma coletânea de uma revista (Fluir – 90’s Surf Music) com bandas como NOFX, Millencolin, Pennywise e Shelter, entre outras. Vocês se enxergam como uma referência dentro da cena hardcore? 

Acho que não sabia dessa revista! Não somos tão grandes como as bandas que você mencionou, mas acho que tivemos um papel importante na cena europeia juntamente com Millencolin, Satanic Surfers e Randy. E, claro, acho que nós temos o nosso próprio estilo que nos diferencia das outras bandas. E o fato de que ainda podemos fazer turnês mostra que deixamos nossa marca na história do punk rock
.
Com bandas como vocês, Millencolin e Satanic Surfers, a Suécia talvez foi o lugar mais californiano fora da Califórnia. O hardcore ainda é popular por aí? Recomendaria alguma banda nova?

Pra falar a verdade não ando tão inteirado com o cenário punk rock atual. Mas acho que um monte de gente vai pra shows, só que isso está totalmente fora do radar da mídia. A banda nova do Rodrigo que tocava no Satanic Surfers é muita boa, Atlas Losing Grip.  Tem também o Graveyard, com uma pegada anos 70 que é muito bom e o Pig Eyes que faz uma espécie de Kraut Rock Alternativo. Deem uma ouvida!

O In Flames (banda de metal sueca) gravou uma música do NFAA, “Strong and Smart”. Vocês já tocaram “Mr. Clean” do Millencolin ao vivo. A galera pode esperar por alguma cover legal nessa turnê?

Nós tocamos alguns covers ao vivo ao longo dos anos, mas por algum motivo nós não fazemos isso há um bom tempo. Talvez a gente deva pensar melhor sobre o assunto!

É a quarta vez da banda no Brasil. O que vocês mais gostam no país? 

Sempre fomos muito bem recebidos!  Grandes shows com um público fantástico! Ótimo clima, gente bacana, beber Brahma na cadeira amarela de plástico e ficar de boa curtindo!

Mais uma vez, obrigado pela entrevista. O que você diria pra molecada que pretende começar uma banda hoje em dia? 

Obrigado.  Toquem mais rápido!!
_________



Para mais informações sobre a turnê brasileira do No Fun At All, visite a página da Highlight Sounds no Facebook

Cold
Share on Google Plus

About Posthardcore Br

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.